Canto à Biblioteconomia

Por amor,
rápido, este dia chega,
Por paixão,
tardiamente este dia esvai-se.

Há quem vislumbre uma profissão por status,
há quem à queira por comodidade,
há quem procure-a para prestar contas à sociedade,
mas há muitos que à buscam por afinidade.

Eu, amo-te incondicionalmente,
te desejo ardosamente
e te defendo com unhas e dentes.

Em ti sou completude
a partir de ti, me realizo.
Contigo sou atitude.

Mário Gaudêncio
Este soneto é uma modesta declaração de amor à Biblioteconomia e ao dia do Bibliotecário.
12 de março de 2010.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s