Dores manifestadas em extermínio

Violência que destrói
Mata, maltrata
Inflama o coração
Desfaz a alma, corrói.

Dores que me consome
Como um parto eterno
De negra magia…
Torpe, um inferno.

Violência que extermina a gente.
Fazem-nos chorar, nos desalenta.
Esse extermínio me corrompe; deixa-me carente.

Jovem que não tem sorte.
Jovem que o Estado não protege.
Jovens carregados até a morte.

Mário Gaudêncio
Mossoró-RN
13/02/2012, às 13h13min13seg

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s