Benzedeira Mariinhia

À Dona Maria Augusta dos Santos.

Foi com Dona Marinhia
que aprendi o poder da reza.
Não tem dor nem aflição
que a cura não dê solução.

É dor de dente,
“espinhela caída”,
mau olhado
e até “vento caído”.

Conhecer uma benzedeira nos dias de hoje
é sublime por demais é êxtase e louvação,
que num tempo de tanta transformação,
continua viva toda uma tradição.

Mário Gaudêncio (01/06/2007).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s