Outonicidade

O tempo mudou,
o óbvio ficou diferente,
o sol, as nuvens, o vento
os bichos, os sorrisos, aquela gente.

Surgira uma nova razão:
os passarinhos com muita imaginação
tornaram mágico o flutuar do polém
que, puxado pelas raízes
para alimentar o caulém
fortalecem as folhas
que acabam de tornarem-se vibrantes
para embelezar
o respirar e o gosto de estarem
frutas amargas e doces,
velhas e moças.

Essa é a outonicidade
dos jardins e roças
da potiguaridade
que não ganharam as graças
da falada outonicidade
da estação ¼
mas que na ½
é a colorança misturada a chuvidade
que não diminuem a vaidade
da claridade irradiada de bondade
que deixam os cariris cheios de esperança
e os tupis com jeito de criança
a bonança chegara
a plantação saíra
a sorte apresentara
das nuvens se molhará a terra
pro frutejar se mostrar.

Esse é o outono
do povo potiguar.

Mário Gaudêncio (26 de junho de 2007).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s