O que é pós-verdade?

Pelo Bibliotecário Mário Gaudêncio

Ultimamente, estamos presenciando uma série de textos, vídeos ou áudios produzidos sobre os meios de comunicação de massa (antiga mídia) ou as mídias alternativas (nova mídia), que promovem o surgimento de fatos unilaterais que muitas vezes são no mínimo duvidosas ou até “inventadas” por interesses particulares.

Ao fantasiar uma “possível informação verídica”, sem uma verdade legitimada, ou seja, que comprove e represente o real cenário do fato ocorrido e noticiado, se aberto espaço para viabilizar um ambiente de perjúrio à pessoas, instituições e/ou conjunturas sociais, políticas, culturais e econômicas, por exemplo.

A Ideia de “pós-verdade” lembra muito o ditado popular “quem conta um conto, aumenta um ponto”. Entretanto o termo transcende o ditado que remete a ressignificação de gerar um fato a partir de outro. Nesse sentido a “pós-verdade” é mais perversa fazendo com que os

“[…] regimes de pós-verdade produzam mais do que fatos e informações, trabalham com os regimes de crença. Visões de mundo, preconceitos, sentimentos. Se antes o propósito da mentira política era criar uma falsa visão do mundo, agora trata-se de reforçar preconceitos e sentimentos, não apresentar ou analisar fatos. É algo do campo da irracionalidade” (BENTES, 2016, online).

A “pós-verdade” funciona como um “lobista”, que a partir de interesses pessoais leva você a acreditar que o dito é verdadeiro e consequentemente necessário. Daí a preocupação com a expressão e ação do pseudo”produtor de conteúdo”, que necessariamente deve ser visto e encarado com responsabilidade, pois

“[…] pessoas […] individualmente começam a se ver e assumir como produtores relevantes de conteúdos. Essa percepção de que a mídia somos nós, esse conjunto de singularidades que podemos acessar, com quem podemos interagir e trocar realmente é uma mutação antropológica”. (BENTES, 2016, online).

Passa-se a impressão de que basta assumir um perfil em uma rede social virtual qualquer, para “sair por aí destilando veneno” e alimentando o ódio e os valores identitários apocalípticos. No caso das mídias, a informação lançada e reverberada  por meio de redes direcionadas e não direcionadas, possibilitando a um determinado grupo de domínio ampliar o alcance da pseudo-informação.

Essencialmente com a “pós-verdade”, valoriza-se a celebre frase de Maquiavel onde “os fins justificam os meios” e que por meio disso, erroneamente considera-se que no jogo do interesse, tudo pode, tudo deve. Para exemplificar estas considerações, mostram-se cenários onde a “pós-verdade” atuou com profunda força:

a) O cenário político brasileiro (2013-2016);

b) A Eleição Estadunidense 2016;

c) O Brexit Inglês;

d) Emigração Síria.

Assim, e considerando os mais variados contextos, percebe-se que os fatos são “inventados” para viabilizar o cenário necessário de justificar um ato, que jamais terá em vista o bem comum, ao contrário, haverá sempre uma busca pelo interesse individual, onde a disputa pelo poder sempre irá subjugar e silenciar um grupo em detrimento do outro.

REFERÊNCIAS

BENTES, I. A Memética e a era da pós-verdade. Disponível em: <http://revistacult.uol.com.br/home/2016/10/a-memetica-e-a-era-da-pos-verdade>. Acesso em: 24 nov. 2016.

CASTILHO, C. Apertem os cintos, estamos entrando na era da pós-verdade. Disponível em: <http://observatoriodaimprensa.com.br/imprensa-em-questao/apertem-os-cintos-estamos-entrando-na-era-da-pos-verdade>. Acesso em: 24 nov. 2016.

COUTINHO, L. A Escolha de pós-verdade como vocábulo do ano confirma a sensação de que a veracidade está fora de moda. Disponível em: <http://dc.clicrbs.com.br/sc/colunistas/whats-up/noticia/2016/11/a-escolha-de-pos-verdade-como-vocabulo-do-ano-confirma-a-sensacao-de-que-a-veracidade-esta-fora-de-moda-8437308.html>. Acesso em: 24 nov. 2016.

FÁBIO, A. C. O que é “pós-verdade, a palavra do ano segundo a Universidade de Oxford. Disponível em: <https://www.nexojornal.com.br/expresso/2016/11/16/O-que-%C3%A9-%E2%80%98p%C3%B3s-verdade%E2%80%99-a-palavra-do-ano-segundo-a-Universidade-de-Oxford>. Acesso em: 24 nov. 2016.

FILHO, J. A Semana da pós-verdade brasileira. Disponível em: <https://theintercept.com/2016/11/20/a-semana-da-pos-verdade-brasileira>. Acesso em: 24 nov. 2016.

WYLLYS, J. A Pós-verdade é a aliança da mentira com o preconceito. Disponível em: <http://www.cartacapital.com.br/sociedade/a-pos-verdade-e-a-alianca-da-mentira-com-o-preconceito>. Acesso em: 24 nov. 2016.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s